Noticias

23 Setembro 2020

PRIMEIRO SEMINÁRIO DE FORMAÇÃO do Projecto LIFE18 CCA/ES/001109 “Introdução, objectivos e apresentação das actividades do projecto LIFE Vida para os Citrinos nas Ilhas Canárias”.

A Unidade de Protecção Vegetal da ICIA tem vindo a realizar diferentes actividades de investigação e divulgação sobre o controlo sustentável da praga Trioza erytreae; especificamente, no âmbito do convite à apresentação de projectos do programa “Adaptação às Alterações Climáticas” no âmbito do Programa LIFE europeu, foi aprovado o projecto de demonstração LIFE18 CCA/ES/001109 intitulado “Desenvolvimento de estratégias de controlo sustentável de citrinos ameaçados pelas alterações climáticas e prevenção da entrada de organismos geneticamente modificados na UE” por um período de 1 de Julho de 2019 a 30 de Junho de 2023.

A ICIA é responsável pela implementação de diferentes acções destinadas a testar novos porta-enxertos e variedades de citrinos, bem como a demonstrar técnicas sustentáveis para controlar eficazmente a propagação de vectores, implementando a metodologia apropriada para aumentar a biodiversidade através de sebes e cobertura vegetal.

O Huanglongbing (HLB) ou Greening, um dos seus vectores é a psylla africana (Trioza erytreae), representa uma séria ameaça para a cultura e indústria dos citrinos. A psila africana está presente nas Ilhas Canárias desde 2002, em Tenerife, La Palma, La Gomera e El Hierro, e subsequentemente em Gran Canaria desde 2011. Foi também descrito na Espanha peninsular em 2014, e desde então tem alastrado a várias regiões, incluindo Portugal. Está actualmente difundido e bem estabelecido ao longo da costa noroeste da Península Ibérica, desde Cedeira na Corunha (Espanha) a Pontes / Setúbal em Portugal, e foi recentemente detectado e reportado nas Astúrias e Cantábria (EPPO, 2020). Portanto, se não forem implementadas medidas de controlo e gestão mais eficientes, é inevitável que a T. erytreae se espalhe pela Península Ibérica, afectando as principais áreas produtoras de citrinos em Espanha e Portugal.

Hora do dia

Como precedente ao desenvolvimento deste projecto, a ICIA e a IVIA trabalharam de forma coordenada no projecto clássico de controlo biológico da psilídeo africano em Espanha, que consiste na importação, reprodução e subsequente libertação nas Ilhas Canárias do parasitóide Tamarixia dryi (Waterston) da África do Sul (Projectos E-RTA 2015-00005-C06-00 do Plano Estatal de I&D&I 2013-2016). Os protocolos e resultados derivados deste trabalho são uma referência a nível europeu, e estão actualmente a ser implementados nas regiões recentemente afectadas pela T. erytreae em Espanha e Portugal.

Como parceiro neste projecto LIFE, a ICIA é responsável pela implementação de diferentes acções destinadas a testar novos porta-enxertos e variedades de citrinos, bem como a demonstrar técnicas sustentáveis para controlar eficazmente a propagação de vectores, implementando a metodologia apropriada para aumentar a biodiversidade através de sebes e cobertura vegetal.

Estas acções estão a ser realizadas em três parcelas de demonstração de citrinos, localizadas em Tenerife (Valle de Guerra e Güímar) e Gran Canaria, e estão centradas em: controlo biológico em citrinos, gestão da cobertura vegetal, implementação de sebes para favorecer o controlo biológico por conservação, colocação de hotéis de insectos e ensaios com novo material vegetal (combinações padrão-variedade). O objectivo desta formação é dar a conhecer os objectivos, protocolos técnicos e acções desenvolvidas pela ICIA como parceiro do projecto LIFE para o CITRUS. Também para fazer referência aos resultados esperados, que serão replicáveis às áreas de produção de citrinos a nível regional e nacional, com o seu potencial impacto no aumento da qualidade da produção deste sector nas Ilhas Canárias.

Fuente ICIA

CONFERÊNCIA, Notícias , , , , ,

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *